sexta-feira, 29 de março de 2013

Lapa VIII - Igreja Nossa Senhora do Desterro


Volto a mais uma igreja com cúpula, bem como as torres, azulejadas, a Igreja de Nossa Senhora do Desterro, cujo nome completo é Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Lapa do Desterro, e que alguns chamam simplificadamente como Igreja de Nossa Senhora da Lapa, ou ainda, apenas Igreja da Lapa.

sábado, 23 de março de 2013

Centro XXXV - Ao Faz Tudo (rua Visconde do Rio Branco)

Semana passada, ao passar pelo rua Visconde do Rio Branco para fotografar o prédio da postagem anterior, me dei conta que o painel de azulejos de sinalização da antiga loja de restauração AO FAZ TUDO foi removido do belo imóvel art nouveau que eles ocupavam desde 1926.

Centro XXXIV - rua Visconde do Rio Branco

Já faz muito tempo que estou para voltar à rua Visconde do Rio Branco, para fotografar estas platibandas azulejadas que me escaparam, mas para as quais fui alertado pelo atento Raul Félix.


domingo, 17 de março de 2013

Centro XXIIIb - Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Ontem fim um longo "safari" pelo Centro do Rio de Janeiro, e deste trouxe uma grande quantidade de fotos de azulejos e telhões de beiral em faiança, bem como algumas estátuas de faiança, que aos poucos vou publicar por aqui. Todas as vezes que volto de um passeio assim, fico em dúvida por onde começar! Já foram quatro possibilidades, mas no final venceu a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, ou melhor, suas cúpulas azulejadas. Em uma postagem anterior, eu já contei um pouco da história da Ordem e desta igreja em particular, e mostrei os azulejos holandeses que ornamentam e dão vida a um espaço de circulação lateral aberto como uma varanda.

sábado, 16 de março de 2013

Nos periódicos do século XIX

Hoje fiz uma pequena pesquina na Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional, para ver se encontraria alguma propaganda, nota, anúncio, comunicado, artigo, alguma coisa, nos jornais do século XIX, sobre o comércio e uso de azulejos no Rio de Janeiro daquela época.

O resultado até onde eu fui, antes de cair no cansaço, não foi dos melhores, mas mesmo assim me trouxe algumas informações que podem um dia ser subsídio para algumas conclusões.

1824

sábado, 9 de março de 2013

Catete Vb - rua do Catete

Hoje recebi pelo correio o maravilhoso livro "O Azulejo na Arquitetura Civil de Pernambuco - Século XIX", da arquiteta Sylvia Tigre e do o engenheiro português António Cruz, e explêndidas fotografias de Tuca Reinés.

Uma coisa que achei deveras interessante neste livro foram os azulejos da foto abaixo, reproduzida do livro, que se encontram na fachada principal de um casarão palaciano no bairro da Madalena, no Recife.


Saúde IId - rua Sacadura Cabral

Esta semana, quando fui ao novo Museu de Arte do Rio (MAR), aproveitei para ver com estava a reforma do prédio da rua Sacadura Cabral ali perto, que já foi assunto de três postagens anteriores aqui no blog (1) (2) (3).

De longe comecei a ficar animado, pois o prédio, bem como o seu vizinho, que antes estavam em estado deplorável, estavam já prontos, sem as telas de proteção das obras, mas foi só eu me aproximar um pouco mais para perceber que a coisa não era tão feliz assim.


quarta-feira, 6 de março de 2013

Cidade Nova V - Rua Correia Vasques


Mais um interessante exemplo de arquitetura do início do século XX, que (aparentemente) reaproveita azulejos antigos, oriundos de demolições de outras áreas da cidade, decorrentes das transformações urbanísticas promovidas naquele momento, para promover o "afrancesando" o Rio de Janeiro.

domingo, 3 de março de 2013

Catete V - rua do Catete


Voltamos agora ao bairro do Catete. O Catete é um tradicional e histórico bairro do Rio de Janeiro, e já foi sede da presidência da república brasileira, que ficava localizada no Palácio do Catete, que é até hoje principal munumento da região. Assim como a Glória e Santa Teresa, teve um passado nobre, mas hoje em dia é um típico bairro de classe média. Ainda encontramos no bairro vários casarões das últimas décadas do século XIX e início do XX, o seu período de maior luxo. O bairro se tornou importante após o Palácio do Catete se tornar a sede do governo federal em 1897. Tal situação durou até 1960, quando a capital brasileira foi transferida para Brasília.