quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Centro V - Painel de propaganda CAFÉ AMAZONAS

data da publicação original: 12 de agosto de 2012

foto: Leonardo Martins [ fonte >> ]  
Mais uma vez, navegando na internet, acabei me deparando com surpresa e felicidade com um painel publicitário em azulejos, entre a região da Central do Brasil e a região Portuária do Rio de Janeiro. A surpresa foi ainda maior do que encontrar casario revestido por azulejos antigos pois é a primeira vez que encontro este tipo de pianel publicitário aqui no Rio de Janeiro.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

padrão "Rozenster" pelo mundo

postagem original: 29 de janeiro de 2016

fonte >>
Hoje encontrei no Blogspot uma foto (1) de azulejos em Beja, Portugal, que são provavelmente uma simplificação do padrão "Rozenster" holandês (em algumas fábricas/catálogos "Ross Ster") (2, 3, 4).

Me interessam muito estes "intercâmbios" ou "influências" (talvez fosse melhor dizer, cópia livre) de padrões azulejares entre os diversos países. Aqui no Rio de Janeiro há padrões compartilhados entre portugueses e holandeses, e entre holandeses e franceses.

domingo, 6 de novembro de 2016

Rio das Flores (RJ) I - Fazenda do Paraízo

fonte: programa Casa Brasileira (GNT), ep. Rio De Janeiro - Parte 2 [>>]

Nesta postagem veremos os azulejos da cozinha da Fazenda do Paraízo, em Rio das Flores, interior do estado do Rio de Janeiro,

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Catete VII - Rua Correia Dutra - DESTRUÍDO

data da postagem original: 04/10/2016

Nesta postagem, feita a partir da pesquisa e fotos generosamente enviadas por Raul Félix de Sousa, vemos os azulejos salvos de uma construção demolida entre abril/maio de 1994.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Lapa Xb - rua do Senado

postagem original: 21 de novembro de 2015

Numa postagem anterior (link>>), eu apresentei o primeiro um de dois sobrados geminados na rua do Senado. Abaixo revemos duas fotos em detalhe dos azulejos neste sobrado.




Saúde XIIIb - rua do Jogo da Bola

Volto agora a este imóvel no bairro da Saúde, 4 anos após a publicação original aqui no blog [>>] pois hoje, por acaso, "passeando" num site recém descoberto chamado "Reflexos do Porto: Guia do Azulejo na Cidade" [>>] achei o azulejo de padrão usado como friso nesta simpática casa, infelizmente tão adulterada.


Central do Brasil Ic - rua Senador Pompeu

publicação original de 4 de novembro de 2013

Volto a este imóvel na rua Senador Pompeu, que foi aqui apresentado há mais de um ano, nesta postagem, pois graças a este último final de semana, que passei na cidade do Porto, em Portugal, o mistério da origem dos azulejos está resolvida!


domingo, 25 de setembro de 2016

Glória IIb - ladeira de Nossa Senhora


A identificação dos azulejos antigos ainda encontrados no Rio de Janeiro é sempre lenta e gradual. Há quase 2 anos fiz esta postagem [>>] sobre este portão de 1890, com 2 padrões de azulejos, cercadura e telhões pintados, mas nada pude dizer sobre os azulejos.

Porém, hoje encontrei no livro "De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis (2013) o padrão usado nos espaços laterais, como se fossem as colunas da estrutura. Chama-se, segundo o livro, "Vierster" ("Quatro Estrelas), e teria sido produzido de 1870 até 1890, em Harlingen, Holanda.

sábado, 24 de setembro de 2016

Gávea I - Instituto Moreira Salles

postagem original: 15/6/2015

fonte: Tumblr.com

Detalhe de banco do jardim do Instituto Moreira Salles, revestido com azulejos que acredito serem holandeses (padrão) por causa das dimensões e rigidez da execução do desenho em todos os azulejos. A cercadura, pelas dimensões, cores e estilo, também acredito que seja holandesa, mas prefiro por agora deixar em aberto.

Atualização em 24/9/2016
Encontrei no livro De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen, de Jan Pluis (2013) o padrão abaixo, que é bastante similar com a cercadura usada no banco:



Segundo Jan Pluis, este padrão teria sido produzido entre 1880/1920, em azul e verde em Utrecht e Makkum, e consta no livro de modelos da fábrica Ravesteyn (Utrecht) de circa 1885 e de novo no livro de modelos da mesma fábrica de circa 1900. É informado também que este padrão de cercadura pode ser encontrado na produção portuguesa, da mesma forma que o padrão principal usado no banco.