domingo, 25 de setembro de 2016

Glória IIb - ladeira de Nossa Senhora


A identificação dos azulejos antigos ainda encontrados no Rio de Janeiro é sempre lenta e gradual. Há quase 2 anos fiz esta postagem [>>] sobre este portão de 1890, com 2 padrões de azulejos, cercadura e telhões pintados, mas nada pude dizer sobre os azulejos.

Porém, hoje encontrei no livro "De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen", de Jan Pluis (2013) o padrão usado nos espaços laterais, como se fossem as colunas da estrutura. Chama-se, segundo o livro, "Vierster" ("Quatro Estrelas), e teria sido produzido de 1870 até 1890, em Harlingen, Holanda.

sábado, 24 de setembro de 2016

padrão "Rozenster" pelo mundo

postagem original: 29 de janeiro de 2016

fonte >>
Hoje encontrei no Blogspot uma foto (1) de azulejos em Beja, Portugal, que são provavelmente uma simplificação do padrão "Rozenster" holandês (em algumas fábricas/catálogos "Ross Ster") (2, 3, 4).

Me interessam muito estes "intercâmbios" ou "influências" (talvez fosse melhor dizer, cópia livre) de padrões azulejares entre os diversos países. Aqui no Rio de Janeiro há padrões compartilhados entre portugueses e holandeses, e entre holandeses e franceses.

Gávea I - Instituto Moreira Salles

postagem original: 15/6/2015

fonte: Tumblr.com

Detalhe de banco do jardim do Instituto Moreira Salles, revestido com azulejos que acredito serem holandeses (padrão) por causa das dimensões e rigidez da execução do desenho em todos os azulejos. A cercadura, pelas dimensões, cores e estilo, também acredito que seja holandesa, mas prefiro por agora deixar em aberto.

Atualização em 24/9/2016
Encontrei no livro De Nederlandse Tegel - Decors en Benamingen, de Jan Pluis (2013) o padrão abaixo, que é bastante similar com a cercadura usada no banco:



Segundo Jan Pluis, este padrão teria sido produzido entre 1880/1920, em azul e verde em Utrecht e Makkum, e consta no livro de modelos da fábrica Ravesteyn (Utrecht) de circa 1885 e de novo no livro de modelos da mesma fábrica de circa 1900. É informado também que este padrão de cercadura pode ser encontrado na produção portuguesa, da mesma forma que o padrão principal usado no banco.

sábado, 17 de setembro de 2016

Centro LIVb - rua Gonçalves Dias

Em maio deste ano fiz esta publicação sobre um prédio encontrado na rua Gonçalves Dias [>>] por aqueles dias. Na ocasião, meu caro colaborador Peter Sprangers me informou que os padrões encontrados no imóvel seriam da fábrica Ravesteijn, de Utrecht, ou da fábrica Van Hulst, de Harlingen.


Ela havia me enviado uma imagem do padrão 1x1 do catálogo de 1885 (ca.) da fábrica Ravesteijn. Porém, o padrão principal ainda eu ainda não havia referências para apresentar aqui. Até hoje.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Centro LVI - Av Passos


Nesta postagem vemos azulejos alemães da Villeroy & Boch, da cidade de Mettlach, localizada no distrito de Merzig-Wadern, estado do Sarre. Segundo o meu caro colaborador Mario Baeck, que fez a identificação dos mesmo, o número de modelo deste padrão de painel seria 763D.